‘Vendemos para nós mesmos’, diz Guedes ao criticar leilão de petróleo

‘Vendemos para nós mesmos’, diz Guedes ao criticar leilão de petróleo

O ministro da Economia, Paulo Guedes, culpou o regime de partilha pelo não comparecimento das maiores empresas petrolíferas do mundo no leilão de petróleo da cessão onerosa realizado na quarta-feira 6. Com isso, ele adiantou que o governo pode alterar o próximo leilão da área para o regime de concessão. Ainda assim, considerou o resultado positivo, mesmo que a arrecadação antes estimada em 106,5 bilhões de reais não tenha ultrapassado os 70 bilhões de reais.




“As 17 empresas gigantes do mundo não apareceram no leilão cessão onerosa e a Petrobras levou sem ágio. Imagina se nem a Petrobras tivesse dinheiro para entrar no leilão da cessão onerosa”, admitiu o ministro, no evento “Diálogos com o TCU”, organizado pelo Tribunal de Contas da União. Guedes criticou o regime de partilha, que considerou uma “herança institucional ruim” de governos passados. “No regime de partilha, a empresa tem que furar diversas camadas de negociação antes de começar a furar o petróleo. Esse regime é usado por empresas francesas em regimes corruptos da África”, alfinetou. “O regime de partilha é difícil, colocamos um elefante para voar. Conversamos cinco anos sobre cessão onerosa, e no final deu ‘no show’, vendemos para nós mesmos”, completou.



Veja

    Compartilhe: