Ricardo Coutinho sugere que Poderes congelem salários e cortem cargos



O governador Ricardo Coutinho (PSB) sugeriu nesta segunda-feira (03) que os presidentes dos Poderes congelem os reajustes salariais durante o tempo que ocuparem os cargos. O socialista acredita que não haverá reajuste no repasse de duodécimo e é preciso que os poderes se adequem.

Segundo Ricardo, se feito, o congelamento salarial demonstraria uma atitude de respeito com a população paraibana. Ele considerou que cada poder precisa fazer jogo interno e realizar cortes para administrar as verbas repassadas.

“A ideia que o estado é um bolso sem fundo e que sempre você pode tirar não faz parte da realidade”, critica.

Recentemente, o presidente eleito do Tribunal de Justiça da Paraíba, Márcio Murilo da Cunha Ramos, questionou o repasse do duodécimo para o TJ e classificou a situação atual do órgão como ‘crítica’ por conta da falta de verbas para o funcionamento pleno. Ele também previu o corte de cargos comissionados para amenizar crise no órgão.

Apesar disso, o governador afirmou que sua declaração não é uma crítica para ninguém, mas ‘uma questão de lógica’. Ele ainda garantiu que em seu governo todos os duodécimos aumentaram acima da inflação.

O socialista defendeu que em todo o poder é preciso que se restrinjam gastos para se ajustar às condições econômicas, inclusive com cortes de cargos comissionados. “Economia não é uma varinha de condão, cada um calce o sapato do tamanho do próprio pé”, alfinetou o gestor.

Ele também agradeceu o apoio dos Poderes por ter ‘ultrapassado’ os piores momentos da economia do país.

Leia mais no Mais PB

    Compartilhe: