Projeto prevê interferência em fundo do Banco do Nordeste e empresa corre risco de falência

Projeto prevê interferência em fundo do Banco do Nordeste e empresa corre risco de falência

Proposta pela senadora Kátia Abreu (PDT-TO), a PEC 119/2019 quer mexer nos Fundos Constitucionais como o do FNE do Banco do Nordeste para transferir 1/3 dos recursos aos Estados. Caso seja o projeto seja aprovado, o banco corre risco de quebrar. Para alertar sobre esse risco, o coordenador do Comitê em Defesa do Banco do Nordeste, Robson Luís esclareceu, em entrevista exclusiva ao Portal CllickPB, as consequências que poderão afetar a Paraíba e todo o Nordeste e a influência positiva que a empresa tem para o desenvolvimento e a inclusão social. 




Atuando em 1990 municípios do Nordeste, Norte de Minas Gerais e do Norte do Espírito Santo; a empresa atua há mais de 67 anos e é responsável pela geração de renda em diversos programas de crédito para famílias rurais e empreendedores.




A Proposta de Emenda Constitucional 119/2019 e outras medidas que fragilizam os Fundos Constitucionais de Financiamento – tais como FNE, FNO e FCO – que se aprovada prejudicará toda uma cadeia de financiamentos que fomentam a economia e promovem o desenvolvimento, principalmente de pequenos produtores.


Click PB

    Compartilhe: