Projeto Lei que reconheceu Cruz Vermelha como Utilidade Pública foi de autoria de Estela

Projeto Lei que reconheceu Cruz Vermelha como Utilidade Pública foi de autoria de Estela

Investigada na Operação Calvário, a deputada estadual Estela Bezerra, que teve a chefe de gabinete, Mayara de Fátima Martins de Souza, nomeada para presidência da Cruz Vermelha na Paraíba, foi a autora do projeto de lei que culminou na Lei 11.244, sancionada pelo governador Ricardo Coutinho (PSB), reconhecendo de Utilidade Pública a Cruz Vermelha Brasileira – filial do Estado da Paraíba, localizada no município de João Pessoa.

A infeliz coincidência é que um dia após a sanção da lei, em atuação conjunta, os órgãos do Ministério Público do Rio de Janeiro (MPRJ-Gaeco/RJ), da Paraíba (MPPB/Gaeco) e de Goiás (MPGO-Gaeco), desencadearam a ‘Operação Calvário’, na qual foi possível identificar inúmeras condutas delituosas praticadas no âmbito de organização criminosa infiltrada na Cruz Vermelha Brasileira, que culminou na prisão de algumas pessoas.

Na última terça-feira, 15 de outubro, o Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado do Ministério Público do Estado da Paraíba, revelou à sociedade paraibana indícios da vinculação da deputada estadual Estelizabel Bezerra (PSB) em determinadas condutas criminosas. Um dia depois, ao ocupar a tribuna da Assembleia Legislativa, Estela Bezerra afirmou inocência e se colocou à disposição da justiça para eventuais esclarecimentos e, apesar de não apresentar documentos, garantiu ter autorizado a quebra de seus sigilos bancário e telefônico.

Leia mais no Paraíba Rádio Blog

    Compartilhe: