Presidente do PT acusa deputado de não querer agregar a unidade no PSB

Presidente do PT acusa deputado de não querer agregar a unidade no PSB

O presidente da Executiva Estadual do PT, Jackson Macedo, acusou o presidente da Assembleia Legislativa da Paraíba, deputado estadual Adriano Galdino, de não querer a unidade no PSB, a despeito da crise interna que o partido vivencia desde a destituição do presidente Evaldo Rosas da presidência.




Ele frisou que a briga do partido só interessa a “uma base conservadora” e que tem ouvido o que o presidente do Poder Legislativo tem dito em relação ao conflito.





“A fala dele não é de quem quer agregar. Eu tenho respeito por ele. O PT votou nele para presidir a Casa por dois biênios. O PT votou pelo voto fechado, porque se passa o voto aberto Adriano Galdino não seria presidente nem no primeiro biênio da Assembleia Legislativa”, disse.




Para Macedo, o presidente não mostra quer construir a unidade do campo democrático e que a fala do deputado é de quem não tem responsabilidade por esse campo, até porque Adriano tem dito que pode ir para qualquer partido que vai do Democratas ao campo democrático popular, quando muitos não fazem parte do projeto político do PSB.





Contudo, Macedo avisou que fará uma reunião com a Executiva Estadual para debater o posicionamento do PT.





“O que eu quero deixar claro é que o PSB lidera um bloco no Estado e que essa crise tem reflexo direto nos outros partidos que compõem esse bloco. O PT está neste projeto desde 2010 e eu abri uma dissidência pública quando apoiei a candidatura de Ricardo Coutinho. É um projeto que vem dando certo na Paraíba e é importante que possamos dar continuidade a ele de forma coletiva”, destacou.





Macedo pontuou ainda que qualquer tipo de movimento que rache esse campo só vai favorecer o bloco adversário conservador liderado pelo PSL, Patriota, o bloco liderado pelo prefeito Luciano Cartaxo que tem o PV, PSDB e o Progressistas.




Portanto, conforme o petista, a posição do seu partido é disputar a presença de João Azevêdo nesse campo.




“Nós não podemos abrir mão disso. O governador tem tido um papel extremamente importante não só na Paraíba, mas no Nordeste todo no enfrentamento ao governo Bolsonaro”, avaliou.



Paraibaonline

    Compartilhe: