Operação Calvário: Dinheiro da saúde foi usado para montar organização criminosa

Operação Calvário: Dinheiro da saúde foi usado para montar organização criminosa

O deputado federal Pedro Cunha Lima (PSDB) lamentou nesta terça-feira (12) que falte dinheiro do Governo do Estado para investir em instituições que cuidam das pessoas, a exemplo da Apae, mas que sobre para o desvio como no caso desvendado pela Operação Calvário, envolvendo a Organização Social Cruz Vermelha.

“Ontem, presenciei a falta de recurso na APAE. Hoje, vejo mais uma matéria nacional sobre o desvio do Governo de Ricardo Coutinho com recursos da saúde pública da Paraíba. Fazer uma organização criminosa com recursos da saúde… É duro. A propina de 900 mil reais, entregue na caixa de vinho, é mais do que a APAE em João Pessoa recebe por ano do Poder Público”, destacou o deputado, comentando matéria publicada pelo Estado de São Paulo, nesta terça-feira (12), sobre o assunto.

O texto  diz que um ex-assessor do governo da Paraíba afirmou, em depoimento, ter recebido R$ 900 mil em propinas da Cruz Vermelha em nome da secretária de Administração, Livânia Farias. Segundo o ex-funcionário, homem de confiança da chefe da pasta, ela ainda teria comprado uma casa de R$ 400 mil na cidade de Sousa com o dinheiro.

Doação – Durante visita a Apae em João Pessoa, o deputado se mostrou triste com o descaso do Poder Público com o terceiro setor. De acordo com ele, é preciso potencializar essa área, treinar, capacitar, dar apoio financeiro e estimular voluntários nas mais diversas causas. Na ocasião, o deputado fez uma doação de parcela do auxílio-mudança.

“Conversei um pouco mais sobre a emenda de 300 mil reais que colocamos e, infelizmente, não por culpa da APAE, não conseguimos executar, e me comprometi em acompanhar de perto as demandas e desafios. É uma causa que merece a soma de cada um. Inclusive, houve uma diminuição das doações… Vamos tentar reverter isso”, afirmou Pedro.

Leia mais no Paraíba Rádio Blog

    Compartilhe: