Marcha do MST ocupa parte de rodovia e pede audiência com João

Marcha do MST ocupa parte de rodovia e pede audiência com João

Militantes do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) interditam parte da BR-101, nas proximidades da entrada de João Pessoa, na manhã desta terça-feira (13), em celebração a sexta edição da Marcha das Margaridas. Uma equipe da Polícia Rodoviária Federal (PRF) acompanha a caminhada dos manifestantes.

Ao MaisPB, a assessora do Movimento, Eva Vilma, informou que o grupo ainda cobra uma audiência com o governador João Azevêdo (PSB), ainda para esta terça-feira. -Queremos saber como ficará as politicas públicas do estado, com os cortes federais os estados são afetados diretamente. Queremos uma reunião de ajustes-, disse.

De acordo com a programação do MST, os militantes ainda participarão do ato intitulado em Defesa da Educação, na tarde de hoje, no Lyceu Paraibano, no Centro de João Pessoa.

Homenagem a Margarida Alves

A Marcha homenageia a líder camponesa, a paraibana Margarida Maria Alves, morta há 36 anos, em 12 de agosto de 1983. Presidenta do sindicato dos trabalhadores rurais de Alagoa Grande, município da Paraíba, Margarida Alves lutava por direitos básicos que, em pleno século 20, ainda não haviam chegado para os homens e mulheres do campo no Brasil, entre eles, carteira de trabalho assinada, descanso remunerado, jornada de trabalho de oito horas, 13º salário e férias. Sua luta desagradou os coronéis do nordeste, em especial os senhores de engenho. Ela foi assassinada na frente do marido e do filho, com um tiro de escopeta calibre 12, que desfigurou seu rosto. O proprietário da maior usina de açúcar local, a Usina Tanques, foi acusado de ser o mandante.


Leia mais no MaisPB

    Compartilhe: