Luan Santana: ‘Me incomodei com os boatos de que eu seria homossexual’



O sul-mato-grossense Luan Santana, de 28 anos, é o jovem cantor mais bem-sucedido do Brasil. Com 65 milhões de seguidores nas redes sociais, 6 milhões de ouvintes no Spotify e agenda de 140 shows por ano, ele ostenta não só uma audiência gigantesca no mundo real e virtual — os fãs revelam um grau de engajamento impressionante com ele. Trafegando entre o sertanejo e o pop, com raízes firmes no romantismo, ele é a aposta de sua gravadora, a Som Livre, ligada à Globo, para um dia suceder ao veterano Roberto Carlos.




Na vitrine da música brasileira, o cantor já foi alvo de pedradas. Em entrevista a VEJA, ele conta que já foi vítima de maldades: “Surgiam comentários, mentiras, e eu chegava em casa passando mal. Falaram muita maldade de mim. Eu me incomodei tanto com os boatos de que eu seria homossexual que comecei a me questionar se me sentava de um jeito muito afetado, sei lá. Saíram boatos na imprensa, na TV. Mas sei que o homossexualismo jamais pode ser chamado de ofensa”.





A vida pessoal do cantor, aliás, é um dos assuntos que mais causam furor nas redes sociais. “A curiosidade pelo que o artista faz ou deixa de fazer vem na mesma proporção do interesse do público pelo trabalho dele”, diz. Um dos assuntos mais comentados nas últimas semanas, foi a revelação, feita a VEJA, de que iria se casar com Jade Magalhães, de 26 anos, com quem se relaciona há 12 anos. “Minha primeira experiência sexual não foi com ela, não. Com 16 anos, eu já tinha tido minha primeira namoradinha. Depois, tive algumas ‘ficantes’ — antes e depois da Jade, aliás. Mas a primeira relação dela foi comigo. A gente queria só aproveitar o momento. Eu nunca pensava em casamento. Mas chegou um determinado ponto em que a vi como a mulher da minha vida”, conta.




Veja

    Compartilhe: