Ideologia de gênero é coisa do capeta, diz Bolsonaro na Marcha para Jesus



O presidente Jair Bolsonaro afirmou neste sábado (10) que a chamada ideologia de gênero é “coisa do capeta” e que as leis existem para proteger as maiorias.

Bolsonaro participou da Marcha para Jesus em Brasília, cumprimentou fiéis e subiu ao trio elétrico com o ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni.


-O presidente vai respeitar a inocência das crianças em sala de aula. Não existe essa conversinha de ideologia de gênero. Isso é coisa do capeta-, afirmou.

A expressão ideologia de gênero, que não é reconhecida pelo mundo acadêmico, normalmente é usada por grupos conservadores que se dizem contrários às discussões sobre diversidade em termos de identidade de gênero e de orientação sexual.

Bolsonaro faz uso frequente do conceito para criticar governos de esquerda e políticas educacionais que estariam, na visão dele, desviando da concepção tradicional cristã da família, composta por um homem e uma mulher.

A teoria de gênero, reconhecida academicamente, estabelece que gênero e orientação sexual são construções sociais, e não apenas determinações biológicas. Já para segmentos da direita, a -ideologia de gênero- é um ataque ao conceito tradicional de família.

O termo -ideologia de gênero- foi criado pela Igreja Católica e citado pela primeira vez em 1998, em uma nota da Conferência Episcopal do Peru. Ele acabou adotado por grupos radicais de direita.

-Não discriminamos ninguém, não temos preconceito. E deixo bem claro, as leis existem para proteger as maiorias. O que a minoria faz sem prejudicar a maioria, vá ser feliz. Não podemos admitir leis que nos tolham, que firam os nossos princípios”, disse.

O presidente ainda fez críticas às variações de famílias que não são formadas por um casal de homem e mulher.

Leia mais no Polêmica Paraíba

    Compartilhe: