Deputados decidem blindar Rosas e Azevedo contra ofensiva de ricardistas

Deputados decidem blindar Rosas e Azevedo contra ofensiva de ricardistas

Durou pouco a indecisão do G11 (que teria até 15 deputados). Logo que Edvaldo Rosas foi nomeado pelo governador João Azevedo para substituir Nonato Bandeira na chefia da Secretaria de Governo, o grupo, que atua de forma independente, chegou a contestar. Houve reações, porque havia a pretensão para que um dos parlamentares do grupo assumisse a pasta.

Mas, após um tempo com o senso de orientação avariado, os deputados recalibraram a bússola e entenderam ser hora, não de questionar a nomeação de Rosas, mas precisamente o contrário: de apoiar, especialmente diante da ofensiva das deputadas ricardistas Estela Bezerra e Cida Ramos. As parlamentares, que representam o ex Ricardo Coutinho na Assembleia, queriam a destituição de Rosas da presidência do PSB, para indicar o ex-governador.

Elas argumentam que Rosas, sendo secretário, não teria mais dedicação exclusiva à frente do PSB. Mas, como um deputado do G11 revelou ao Blog, -se esse argumento fosse válido, então também não valeria também para Ricardo Coutinho, que é presidente da Fundação João Mangabeira, e precisa estar mais em Brasília do que na Paraíba-. A partir, decidiram blindar Rosas da ofensiva ricardista.

O G11 então escalou os deputados Genival Matias e Tião Gomes para sairem em defesa de Edvaldo Rosas, enaltecendo a sua atuação como secretário de João Azevedo. A ideia é blindar, não apenas Rosas, mas também o governador João Azevedo, que tem sido cobrado para afastar Rosas ou apoiar sua destituição do comando do PSB. Com o apoio declarado do G11 sai muito fortalecido.

Na manhã desta quinta (dia 15), as deputadas voltaram à carga, defendendo uma renúncia coletiva da direção estadual do partido, para afastar Rosas. Mas, tanto Rosas, quanto o governador João Azevedo seguem defendendo sua permanência no comando da legenda.

Leia mais no blog Helder Moura

    Compartilhe: