Deputado critica prefeito de Cabedelo por “forçar” abertura do comércio

Deputado critica prefeito de Cabedelo por “forçar” abertura do comércio

A decisão do prefeito de Cabedelo, Vítor Hugo (DEM), de abrir o comércio nem deu certo, mas já conseguiu fazer um milagre em João Pessoa. O gestor da cidade portuária uniu governistas e oposição da capital contra a medida na cidade vizinha. O primeiro a criticar foi o prefeito Luciano Cartaxo (PV), que evitou dar nome aos bois. Já o virtual adversário do bloco cartaxista na disputa eleitoral deste ano, o deputado estadual Wilson Filho (PTB), foi assertivo nas críticas à atitude do prefeito. Wilson é aliado do governador João Azevêdo (Cidadania), outro crítico da postura do gestor cabedelense. A medida, afirma o petebista, contraria as orientações sanitárias do Governo do Estado e da Organização Mundial de Saúde (OMS).




Wilson Filho é um dos nomes colocados para a disputa eleitoral na prefeitura da capital. As críticas dele ao decreto de flexibilização do comércio ocorreram no mesmo dia em que a juíza da 4ª Vara Mista de Cabedelo,  juíza Tereza Cristina de Lyra Pereira Veloso, derrubou a decisão. A normativa editada previa a retomada do funcionamento de lojas, shoppings, academias, bares e restaurantes. O petebista justifica a crítica: “uma atitude que pode ser a responsável pelo colapso de todo sistema de saúde em João Pessoa, visto que, tanto a cidade de Cabedelo como o Manaíra Shopping passarão a ser indutores da propagação do vírus. Não podemos admitir que João Pessoa seja penalizada, nem que o trabalho feito pelo Governo do Estado que, até agora, garantiu o combate da pandemia sem que houvesse um colapso seja jogado fora”, alertou Wilson Filho, fazendo referência, principalmente, aos grandes estabelecimentos.





Uma das justificativas da gestão era a de que o município apresenta baixa letalidade por covid-19, o que não se sustenta, uma vez que a população da cidade é flutuante e pode estar sendo diagnosticada ou, infelizmente, vitimada da doença em outros municípios. Assim, a ação da gestão de Cabedelo pode resultar no colapso da saúde da capital, uma vez que apresenta, proporcionalmente, o maior índice de contaminação da doença entre as cidades da fazem limite com João Pessoa. Santa Rita e Bayeux, que possuem números bem menores que Cabedelo, mantêm o comércio fechado e seguem as recomendações das autoridades de saúde.





Apesar da repercussão negativa, a gestão do prefeito Vitor Hugo já anunciou que irá recorrer da decisão judicial – movimentação esta que Wilson Filho lamenta prestando o seu apoio ao Ministério Público e à Procuradoria-Geral do Estado no embate jurídico que deverá ser travado nos tribunais. “O prefeito Vitor Hugo tem diversas qualidades. É um bom gestor, e creio que foi levado ao erro e, infelizmente, está insistindo no erro. Não podemos ficar calados”, ponderou.





O parlamentar tem oito leis aprovadas no combate à pandemia, dentre elas, uma que proíbe o corte de serviços essenciais durante o decreto de calamidade pública bem como o despejo por falta de pagamento do aluguel.



Blog do Suetoni

    Compartilhe: