Assista a vídeo da reunião em que Bolsonaro e Doria se desentenderam



Doria disse a Bolsonaro que ele deveria -dar exemplo ao país, e não dividir a nação em tempos de pandemia-. O tucano também lamentou o pronunciamento feito pelo chefe do Executivo na noite dessa 3ª feira (24.mar.2020), no qual Bolsonaro criticou fechamento de escolas e pediu o fim de -confinamento em massa-.
-Sem diálogo não venceremos a pior crise de saúde pública da história de nosso país. Bolsonaro, inicio na condição de cidadão, de brasileiro, lamentando seu pronunciamento de ontem à noite à nação. Nós estamos aqui, os quatro governadores do Sudeste, em respeito ao Brasil e aos brasileiros, e em respeito também ao diálogo e ao entendimento. O senhor, como presidente da República, tinha que dar o exemplo. Tem que ser 1 mandatário para comandar, para dirigir e para liderar o país e não para dividir-, disse o governador. O governador de São Paulo também afirmou que as ações estaduais defendendo a quarentena da população se dá devido a prioridade de salvar vidas. -A nossa prioridade é salvar vidas, presidente. Estamos preocupados com as vidas de brasileiros nos nossos Estados. Preservando também empregos e o mínimo que a economia possa se manter ativa. Os Estados estão conscientes disso e governadores também-, afirmou.
Por sua vez, Bolsonaro, em 1 tom nitidamente exaltado, disse que Dória -apoderou-se- do seu nome para se eleger governador em 2018 e que depois o -virou as costas-, passando a atacar seu governo.
-Subiu à sua cabeça a possibilidade de ser presidente da República. Não tem responsabilidade. Não tem altura para criticar o governo federal, que fez completamente diferente o que outros fizeram no passado. Vossa excelência não é exemplo para ninguém-, disse.
O presidente também criticou a postura do governador e chegou a chamá-lo de leviano e demagogo. -Se você não atrapalhar, o Brasil vai decolar e conseguir sair da crise. Saia do palanque-, disse Bolsonaro.
Leia mais no Poder360

    Compartilhe: