Assalto a empresa de valores causa caos em Viracopos; 3 suspeitos são mortos



Criminosos armados invadiram o terminal de cargas do Aeroporto Internacional de Viracopos, trocaram tiros com os seguranças e assaltaram a transportadora de valores Brinks, na manhã desta quinta-feira, 17, em Campinas, no interior de São Paulo. Dois suspeitos foram mortos durante a fuga. Um major da Polícia Militar foi atingido, mas sem gravidade.

Dois seguranças foram baleados e levados para hospitais de Campinas. Durante a ação, a quadrilha ateou fogo em dois caminhões na Rodovia Santos Dumont (SP-79), principal acesso ao aeroporto. As duas pistas foram bloqueadas. O tráfego era intenso e houve pânico entre os usuários da rodovia.

Uma mulher e um bebê de 10 meses foram mantidos reféns pelos bandidos. A criança foi liberada no início da tarde. Em seguida, o bandido foi morto com tiro de sniper. A mãe saiu com um ferimento na nádega, mas passa bem.

De acordo com a administração do aeroporto, os bandidos usavam um veículo com as cores e características da Aeronáutica. Mesmo assim, a caminhonete foi parada, mas acelerou e rompeu o portão de acesso. Mesmo com os pneus estourados pela grade de segurança, os criminosos seguiram para o terminal e atiraram contra os seguranças. Depois do ataque, eles conseguiram fugir.

Mãe e bebê reféns

Um dos criminosos que assaltaram o carro-forte da Brinks no aeroporto de Viracopos invadiu uma casa e manteve uma mulher como refém, no bairro Campo Verde, na região do Ouro Verde, conjunto de bairros no entorno do aeroporto. As negociações foram assumidas pelo Grupo de Ações Táticas Especiais (Gate) da Polícia Militar. Um bebê de 10 meses também foi mantido refém pelos bandidos, mas depois liberado no início da tarde. O bandido foi morto com tiro de sniper. A mãe saiu com um ferimento na nádega, mas passa bem.

O suspeito estava armado com uma pistola e, às 13h30, negociava sua rendição. Imagens de câmeras mostraram que o carro-forte, carregado com o dinheiro, já adentrava a pista para se dirigir ao avião que receberia o montante. O dinheiro, em reais, seguiria para um banco na Inglaterra. O valor roubado ainda não foi divulgado.

Os criminosos usaram uma metralhadora ponto 50, usada como arma antiaérea, para obrigar o carro-forte a parar. A arma, além de um fuzil, foi encontrada na caminhoneta usada pelos ladrões, que teria sido barrado durante a fuga em tiroteio com a polícia.

Os agentes apreenderam também um caminhão de lixo com pelo menos um malote que teria sido usado pelos bandidos durante a fuga.

‘Um sufoco’

O engenheiro de produção Matheus Meucci, de Sorocaba, contou que seguia para Limeira pela rodovia, quando o assalto aconteceu. “Cheguei quando a carreta tinha acabado de ser incendiada. Eu quase bati nos carros que estavam à frente”, afirmou.

Segundo Meucci, na pista sentido Indaiatuba, também já havia um caminhão queimando. “Consegui atravessar o canteiro e retornar. Foi um sufoco”, disse.
 O assalto ocorreu por volta das 10 horas. Durante a ação criminosa, o aeroporto ficou fechado para pousos e decolagens, por um período de 20 minutos.

Nas redes sociais, há vídeo do momento do tiroteio e relato de passageiros que estavam no aeroporto.

Mesmo não tendo ocorrido nenhuma ação no terminal de passageiros, foi necessário passar os passageiros que estavam embarcando por nova inspeção de raio X por questões de segurança.

Leia mais na IstoÉ

    Compartilhe: