Adriano amplia as críticas ao ex-governador Ricardo Coutinho

Adriano amplia as críticas ao ex-governador Ricardo Coutinho

Diante da crise instaurada no ‘jardim dos girassóis’, agravada após Edvaldo Rosas ter sido retirado de seu posto na presidência do PSB Estadual por uma intervenção do diretório nacional, o presidente da ALPB, Adriano Galdino (PSB), afirmou, em entrevista à Correio FM, não enxergar mais possibilidades de pacificação no partido.




De acordo com o deputado, ele acredita que, daqui para frente, cada um deve marchar no seu rumo. Segundo ele, já que a direção nacional optou por Ricardo Coutinho (PSB), João Azevedo (PSB) e seu agrupamento político, formado por pessoas que o seguem dentro do partido, devem sair do PSB para outra agremiação política.






Adriano reforçou também que, em conversa com o governador da Paraíba, ele mostrou estar bastante decepcionado e chateado, não por Ricardo mostrar interesse em ser presidente do PSB, mas sim pela forma que ele conduziu tudo para chegar lá.





– Chegou, de certa forma, constrangendo amigos; fazendo pessoas assinarem uma lista que nem sabiam o que significava; humilhando Edvaldo Rosas, que é uma pessoa de sua total confiança; constrangendo o governador. Então, o método utilizado não foi correto, o método de tratorar, de passar por cima – completou.





Além de repudiar o caminho trilhado pelo ex-governador à presidência da legenda, e considerar antidemocrático, o presidente da ALPB disse também que o atual governador tem sido muito correto com Ricardo, principalmente, se observado que quando ele assumiu o cargo, deixou, praticamente, 99% do mesmo secretariado e demais funcionários.





– A gestão basicamente foi a mesma, em termos de pessoas, e isso mostra a lealdade, o compromisso de João [Azevedo] com o projeto do PSB, com a continuidade. João deu diversos gestos de lealdade, de humildade, de diálogo, de compromisso com o partido, de compromisso com o projeto do PSB. Nada disso valeu. Tudo isso o ex-governador não considerou e achou por bem utilizar o método de tratorar a legenda para conseguir seus objetivos e isso o governador não aceita e nem os demais companheiros de partido – concluiu.



Paraibaonline

    Compartilhe: