Maranhão reforça candidatura própria, elogia RC e mostra que não há distância entre PMDB e PSB

Maranhão reforça candidatura própria, elogia RC e mostra que não há distância entre PMDB e PSB

Depois de adotar a postura de pré-candidato ao Governo do Estado pelo PMDB, o senador José Maranhão (PMDB) segue firme no propósito de elevar o tamanho do partido nas discussões eleitorais de 2018. Nesta quarta-feira (11), o senador mais uma vez reforçou sua condição, mas não fechou as portas para as negociações que acontecerão até o fim das convenções eleitorais do próximo ano.




“Na política não se tolera a soberba e eu não sou um primário político para dizer que não aceito aliança com quem quer que seja, que não se discute candidatura. O PMDB discute, sim”, disse o senador, depois de ser provocado sobre a possibilidade de abrir mão da cabeça de chapa numa coligação com o pré-candidato do governador Ricardo Coutinho (PSB), o secretário de Estado João Azevêdo (PSB).



“Eu posso começar a campanha dizendo que o partido não tem candidatura porque vai votar em João Azevêdo? Ou em Luciano Cartaxo (PSD)? O partido que fizesse isso não existia mais. O partido tem que ter respeito a si próprio. Qualquer partido que vai sentar numa mesa tem que se sentar na presunção de que há uma igualdade de discussão. No mínimo isso”, acrescentou.




O senador também falou sobre os fatos que, em tese, afastam ideologicamente o seu partido do governador Ricardo, a exemplo do processo de impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff (PT). Para o peemedebista, diferenças ideológicas não comprometem alianças com nenhum político.



“Ricardo foi o único governador do PSB que não seguiu orientação do seu partido e apoiou a chapa Dilma x Temer. Por isso nós apoiamos Ricardo em 2014. Ele perdeu no primeiro turno e ganhou no segundo por cerca de 150 mil votos. Portanto, nada impede de haver uma aliança. Com ele ou com o outro lado, até porque a questão ideológica está muito diluída no Brasil”, disse, ressaltando que o PMDB tem um nome e uma possível negociação seria em apoio a sua candidatura.



Maranhão também registrou que considera o nome de João Azevêdo “ótimo”, mas, questionado sobre a continuidade do projeto do PSB defendido por Ricardo, destacou a contribuição do PMDB. “Você acha que o PMDB não tem nada a ver com esse projeto? Que Ricardo não está tendo mérito de continuar projetos iniciados no nosso governo? […] Ricardo está trabalhando e merece o respeito dos paraibanos porque está trabalhando […] Mas o projeto rodoviário foi contratado no meu governo. Vamos repartir o mérito das coisas”, pontuou.


Blog do Gordinho

    Compartilhe: