Maior traficante de animais do país é condenado a 12 anos de prisão na PB

Maior traficante de animais do país é condenado a 12 anos de prisão na PB

Após denúncia do Ministério Público Federal (MPF) em Patos (PB), Valdivino Honório de Jesus, considerado o maior traficante de animais silvestres do Brasil, foi condenado a uma pena de 12 anos de reclusão em regime fechado, por prática de quatro atos de lavagem de dinheiro.

A Justiça decretou ainda a perda, em favor da União, de três veículos; a interdição do exercício do cargo que possui na Empresa de Pesquisa Agropecuária do Estado da Paraíba (Emepa), por 24 anos; além de pagamento de multa. O condenado está preso na Penitenciária Romero Nóbrega, em Patos.

A Justiça decretou ainda, em outro processo, o sequestro da residência de Valdivino, localizada na zona urbana de Patos.

As investigações do MPF apontam que Valdivino obteve com o tráfico um patrimônio superior a R$ 1,3 milhão, em duas décadas. Ainda segundo a denúncia do MPF, nos mais de 20 anos da prática do crime de tráfico de animais, Valdivino colocava os bens adquiridos com dinheiro do tráfico em nome de ‘laranjas’.

O condenado descumpriu ordem judicial (medidas cautelares) anterior de pagamento de fiança e comparecimento mensal em juízo.

Segundo o procurador da República em Patos, a condenação de Valdivino é um feito considerável, tendo em vista que ele agiu durante mais de 20 anos e nunca tinha permanecido preso como agora.

Antes de ser condenado, o traficante já havia sido autuado e detido pelo menos 14 vezes. Desde 1996, Valdivino Honório se dedica a comprar e vender animais silvestres no mercado ilegal, alguns dos quais em risco de extinção e que, portanto, atraem a competência da Justiça Federal.  Segundo investigação do MPF e da Polícia Federal, o Ibama já apreendeu mais de 3,7 mil animais com o condenado, destinados ao abastecimento do mercado ilegal de animais silvestres. Considerando os bichos não apreendidos, estima-se que o número de animais traficados por Valdivino atinja cem vezes mais a quantidade de animais apreendidos.

Leia mais no Após denúncia do Ministério Público Federal (MPF) em Patos (PB), Valdivino Honório de Jesus, considerado o maior traficante de animais silvestres do Brasil, foi condenado a uma pena de 12 anos de reclusão em regime fechado, por prática de quatro atos de lavagem de dinheiro.

A Justiça decretou ainda a perda, em favor da União, de três veículos; a interdição do exercício do cargo que possui na Empresa de Pesquisa Agropecuária do Estado da Paraíba (Emepa), por 24 anos; além de pagamento de multa. O condenado está preso na Penitenciária Romero Nóbrega, em Patos.

A Justiça decretou ainda, em outro processo, o sequestro da residência de Valdivino, localizada na zona urbana de Patos.

As investigações do MPF apontam que Valdivino obteve com o tráfico um patrimônio superior a R$ 1,3 milhão, em duas décadas. Ainda segundo a denúncia do MPF, nos mais de 20 anos da prática do crime de tráfico de animais, Valdivino colocava os bens adquiridos com dinheiro do tráfico em nome de ‘laranjas’.

O condenado descumpriu ordem judicial (medidas cautelares) anterior de pagamento de fiança e comparecimento mensal em juízo.

Segundo o procurador da República em Patos, a condenação de Valdivino é um feito considerável, tendo em vista que ele agiu durante mais de 20 anos e nunca tinha permanecido preso como agora.

Antes de ser condenado, o traficante já havia sido autuado e detido pelo menos 14 vezes. Desde 1996, Valdivino Honório se dedica a comprar e vender animais silvestres no mercado ilegal, alguns dos quais em risco de extinção e que, portanto, atraem a competência da Justiça Federal.  Segundo investigação do MPF e da Polícia Federal, o Ibama já apreendeu mais de 3,7 mil animais com o condenado, destinados ao abastecimento do mercado ilegal de animais silvestres. Considerando os bichos não apreendidos, estima-se que o número de animais traficados por Valdivino atinja cem vezes mais a quantidade de animais apreendidos.

Leia mais no Portal Correio

    Compartilhe: